Dicas do Especialista

A Hemodiálise

Limpa o sangue com um processo que é realizado fora do corpo. Neste tratamento, o sangue passa num filtro (dialisador) que se encontra conectado ao monitor de diálise. A duração de cada tratamento é, em média, de 4 a 5 horas e tem de ser realizado, no mínimo, três vezes por semana.

Em que consiste a hemodiálise

É no dialisador que são removidos os resíduos e os líquidos do sangue. A característica principal do dialisador é que possui várias membranas semipermeáveis muito finas. A função das membranas é agir como barreira entre o sangue e o líquido de diálise, e permitir o movimento seletivo de substâncias de e para o sangue.

O princípio parece bastante complicado, mas é muito simples: linhas esterilizadas estão conectadas ao dialisador, uma para transportar o sangue para o dialisador e a outra para devolver o sangue ao corpo. As linhas e o dialisador (circuito de sangue) estão conectados ao monitor de diálise. O monitor controla, de forma segura, o débito de sangue no circuito de sangue, que geralmente é de 250 a 450 ml/min. O volume total do circuito é aproximadamente de 200 a 300 ml. A duração de uma sessão de dialise é, em média, de 4 a 5 horas.

Como é uma sessão de diálise

Antes de iniciar a hemodiálise, precisa de ter um acesso vascular. No início de cada sessão, é necessário efetuar alguns procedimentos no seu acesso vascular para permitir a sua conexão ao circuito de sangue. Durante a sessão de diálise, ficará sentado ou deitado confortavelmente numa cadeira, onde poderá ler, ouvir música ou dormir. Também pode utilizar o seu telemóvel para efetuar as chamadas necessárias ou o computador para trabalhar, ver filmes ou aceder à Internet.

Poderão ser-lhe administrados alguns medicamentos no circuito de sangue durante o tratamento. Os enfermeiros irão, regularmente, monitorizá-lo a si e ao seu monitor de diálise. Quando a sessão de diálise estiver concluída, será necessário outro procedimento para desligá-lo do circuito de sangue.

Poderá sentir-se cansado após a sessão

A hemodiálise não é dolorosa. No entanto, é provável que sinta alguns efeitos secundários. É bastante comum sentir-se cansado depois de uma longa sessão de diálise. Uma forma de lidar com este sintoma é ajustar a sua dieta e fazer exercício físico regularmente. Tal poderá aumentar os seus níveis de energia. Algumas pessoas poderão ter náuseas, tonturas ou cãibras durante a diálise. Se tiver estes problemas, a sua equipa clínica fará todos os possíveis para ajudá-lo a lidar com os mesmos.

 


A alimentação e a nutrição na hemodiálise

 

Os rins apresentam várias funções importantes para o seu organismo, como a filtração do sangue (eliminando os resíduos resultantes da utilização dos nutrientes e de outros produtos), a remoção dos líquidos em excesso, a produção de hormonas como a renina e eritropoietina e a ativação da vitamina D, e que também estão relacionadas com a sua alimentação.

A diminuição e o fim da função renal, e a incapacidade dos rins executarem adequadamente essas funções, o que provoca alterações no organismo, no apetite e na utilização dos nutrientes, levando uma nova condição nutricional.

No início desta nova fase, e com os tratamentos de hemodiálise, deverá adequar a sua alimentação a esta condição, considerando-a como parte importante dos seus cuidados diários.

De um modo geral, a sua alimentação deverá permitir:

  • ingerir a quantidade adequada de proteína e de energia;
  • manter ou atingir um peso adequado à sua condição;
  • satisfazer as necessidades nutricionais dos restantes nutrientes como dos hidratos de carbono, gorduras, vitaminas e minerais, tendo em atenção para o controlo da ingestão de fósforo, de potássio, de sal (sódio) e de líquidos;
  • estar adequada a outras condições específicas, como a diabetes;
  • prevenir a desnutrição e contribuir para o controlo de algumas complicações da doença.

Deste modo, uma alimentação adequada e ajustada a si, ajudar-lo-á a controlar melhor a sua situação contribuindo para uma melhor e maior qualidade e quantidade de vida.

O  nutricionista/dietista da sua clínica irá aconselhar e ajudar sobre os cuidados alimentares necessários, definindo consigo o plano alimentar individualizado mais adequado às suas necessidades nutricionais e energéticas, à sua condição clínica atual, aos seus hábitos alimentares e com a maior variedade alimentar possível.

Nesta secção, estão disponíveis conteúdos referentes às necessidades energéticas e proteicas, a alguns micro nutrimentos e outros artigos que lhe serão certamente úteis.